sábado, 5 de julho de 2008

LEI SECA: MEDIDA PROVISÓRIA - 415/2008

(Carlos Ramalho)
.
Recentemente temos observado a ênfase que a mídia tem dispensado acerca das questões que envolvem a proibição da venda de bebidas alcoólicas em rodovias, a chamada “Lei Seca”, instituída através de Medida Provisória – MPV 415/2008.

Festejada por muitos, criticada por outros, o certo é que cada segmento da sociedade tem lá seus motivos para se posicionar contra ou a favor no que se refere à linha tênue da controvérsia que envolve o tema.

O assunto ora abordado é polêmico, amplo, assim, tornar-se-ia imprescindível trata-lo de forma desapaixonada, com vistas a celebrar a bandeira do contraponto consensual a que se faz jus a questão.

Fato curioso é que beber e dirigir, principalmente embriagado sempre foi crime. Entretanto, devido à frouxidão dos órgãos competentes de fiscalização e da própria justiça brasileira a sensação da impunidade deixa a população refém e estarrecida pela ausência de severa punição a culpados por tantas barbáries no trânsito.

Conforme o Ministério da Saúde: “problemas relacionados ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas não se limitam às populações vulneráveis e indicam associação com os índices de morbidade e mortalidade da população geral. Em 2004, 35.674 pessoas morreram em decorrência de acidentes de trânsitos no Brasil”.

Os números apresentados pelo Ministério da Saúde são demasiadamente cruéis. Nem em paises do continente africano que atualmente se encontram em guerras civis morrem tantas pessoas como no Brasil. Quantas famílias dilaceradas, sonhos interrompidos bruscamente, seqüelas incuráveis. Tudo isso por quê? Para que? Será que vale a pena?

Talvez você que está lendo este texto se justifique dizendo: mas eu não bebo, ou nunca bebi a ponto de causar um acidente. Que bom, mas veja que outros motoristas se portam de maneira irresponsável e contrária colocando em risco a sua, a minha, a nossa vida e de nossos familiares.

No que se refere a difícil divisão da linha tênue da controvérsia que envolve o tema, de forma apaixonada, categórica e irremediável, posiciono-me favorável a vida em todos os seus aspectos.

"O vinho é zombador e a bebida fermentada provoca brigas; não é sábio deixar-se dominar por eles". (Pv. 20:1)
.
Um forte abraço,
.
Carlos Ramalho
In: 05/07/2008

2 comentários:

Emerson - Blog GaloSampa disse...

Há alguns anos atrás eu seria forte e ferrenho crítico da lei em questão, porém, como pai, hj acredito que ela veio a calhar para reduzir os alto índice de mortalidade, embora não sei o % de óbitos causado pelo consumo de álcool. Entretanto, ressalta que a tolerância zero deveria se expandir para outros setores da sociedade. Político corrupto, descaso com a saúde e educação, poderiam ser exemplos para levar pra cadeia servidores do povo incompetentes e ineficazes. representa

Débora Mello disse...

Olá!

Adorei sua forma de expressão sobre este caso em que o Brasil inteiro está discutindo a todo momento.
Também acho que faltava mesmo uma lei assim para minimizar vários tipos de acidentes.
Agora temos que mudar opções de lazer, enfim, agora é com o amigo da vez, rsrs todos temos um e sempre beber com moderação, mas dirigir e beber não!
Outra coisa que podiam dar um basta é a VIOLÊNCIA! enfim são tantas coisas que precisam ser mudadas em nosso Pais!

um grande abraço,
Débora Mello
deborinha_melo@yahoo.com.br
São Paulo