sexta-feira, 26 de setembro de 2008

DISCURSO COLAÇÃO DE GRAU (*)

COLAÇÃO DE GRAU
ADMINISTRAÇÃO – GESTÃO NEGÓCIOS – 8º Período
Universidade Vale do Rio Verde - UNINCOR
(*) PROFERIDO EM ATO SOLENE EM 26/12/2006
ORADOR: CARLOS RAMALHO
.
Em Eclesiastes capítulo 3, versículo 1, diz que “Há para todas as coisas um tempo determinado por Deus” e assim ao iniciar este discurso se por um breve momento fosse pedido a cada um dos presentes que fechassem os seus olhos para uma breve retrospectiva dos últimos quatro anos, unânimes seriamos ao afirmar: que muita coisa se passou em todo este tempo...
.
Os primeiros passos acadêmicos foram de dúvidas, incertezas, adaptação. Cada novo dia representava o tempo de descobertas, de aprendizado, de conquistas e acima de tudo a oportunidade de se fazer novos amigos...
.
Tarefa fácil não foi. Muitas foram às noites em claro! Certamente a pensar acerca se realmente valeria a pena “gastar” todo aquele tempo aprendendo sobre DURKEIM, WEBER, MAX e tantos outros” ... E hoje através do brilho em cada olhar temos a certeza de que valerá a pena, afinal, combatemos o bom combate sem nos esmorecer...

Nesta noite memorável, já vivemos um tempo de lembranças...

Pra começar quem não se lembra do primeiro e segundo período lá no Colégio Batista...

As coisas eram mais ou menos assim: Pegue a HP ai... 12 enter... 9 divide... O professor meu resultado não bate - Jovem – tem que ler o manual. Ce já leu o manual jovem... Desse jeito ninguém aprende... Tem que ler o manual...

E quem não se lembra do celebre jargão: “Até você Nixon”...

O Frederico que o diga....

E o que falar das aventuras de Jack Chan com as teorias gerais da administração?

Não podemos esquecer também de DOMENICO DE MASI, afinal foi o OCIO ATIVO que provocou o surto psicótico na massa.

E a entropia negativa? Não poderia ser boa de maneira nenhuma...

E como esquecer do professor Dimitri, aquele menino criado com vó?

Ah e tem também os conselhos do “paizão”, para que não fossemos para a sala 8...

E no final terminávamos sempre com um fenomenal “parabéns”... daquele que tivera seis casamentos ...

E com fé, hoje, conquistamos a nossa tão sonhada “aposentadoria por tempo de gradução”
.
Mas, tenham cuidado, pois o ganso, o ganso vem ai....

Ao longo destes quatro anos vivemos também o tempo da alegria, da descontração...

De todas as brincadeiras e situações inusitadas registradas na parede da memória, algumas merecem destaques:

A principal delas e sem sombra de dúvidas refere-se as imitações imortalizadas pelo nosso colega Raphael Mendes, que conduzia a galera ao delírio máximo das gargalhadas;

Poucos foram os professores poupados por sua maestria em artes cênicas.

E quem não se familiarizou com o jargão: “HEY PEOPLE TOMAKE FOREVER PLEASE AGAIN”

Outra situação de extrema zuação era a perseguição sofrida pelos colegas Marcão e Serjão... eles que o digam acerca do bambole de otário, das crionças....

E os bilhetinhos que circulavam na sala informando que o apagador do professor estava no lado direito do teto? Quem embora tenha estranhado, não se entregou e deu aquela olhadinha?

Vivemos o tempo das despedidas, não foram poucos os colegas que por motivo de força maior, abandonaram o curso antes de seu término.... Alessandra, Lucélia, Fabiana, Carlos Amaral, Bonifácio, Israel, Priscila, Cássio, Bruno, Ludmila, a todos vocês desejamos votos de sucessos e felicidades.

Sofremos com o tempo de angústias devido a perdas de entes queridos. A cada um dos que partiram em especial Oswaldo Dothling de Carvalho e Joaquim Santiago Ramalho, deixo registrado o sentimento de eterna gratidão e saudades.

E o tempo de conflitos? Não foram poucos... entretanto, soubemos fazer de cada um deles o start para o aperfeiçoamento das relações de forma a prevalecer o bom senso e o respeito mútuo.

Vivemos também tempos de reivindicações e olha que não foram poucas, mas de uma coisa tenho plena consciência: fizemos o nosso papel no que tange a contribuição de uma instituição mais sólida e quem sabe de referência municipal, estadual e até mesmo nacional num futuro bem próximo.

E esta noite representa o tempo de colhermos tudo aquilo que com ousadia e determinação plantamos ao longo destes últimos quatro anos.

Chamo a atenção de cada um dos nobres colegas bachareis, que a colação não representa o fim, mas sim o começo de uma trajetória que outrora iniciamos como aprendizes e que hoje encerramos mais uma etapa como mestres por excelência.

Na oportunidade temos o dever ético e moral de agradecer aos mestres, aos colegas, e principalmente as nossas famílias aqui representadas. Saibam que sem vocês jamais teríamos conseguido chegar aonde chegamos.

Finalizando agradeço aos colegas e amigos mais chegados que irmão, pela tarefa a mim confiada nesta noite.

“De todos os momentos, as risadas, as lágrimas, as situações, nenhum destes ou outro qualquer poderão substituir o valor humano das pessoas com as quais convivi”.

Muito Obrigado,

Carlos Ramalho – Seriedade e Trabalho

Nenhum comentário: