segunda-feira, 21 de setembro de 2009

DIA MUNDIAL SEM CARRO

(Carlos Ramalho)

Amanhã dia 22 de setembro acontecerá o Dia Mundial sem Carro. Trata-se de um movimento coordenado pela World Carfree Network que busca conscientizar a população mundial acerca da necessidade da diminuição de emissão de gases causadores do efeito estufa, melhorar a qualidade do ar e provocar boas praticas no tocante a preservação do meio ambiente.

A previsão é que cerca de mais de duas mil cidades ao redor do planeta participem desta iniciativa. No Brasil as cidades de Curitiba - PR, São Paulo - SP, Belo Horizonte - MG, Rio de Janeiro - RJ, Florianópolis - SC, Maceió - AL, São Luís - MA, Vitória - ES e Rio Branco – AC já aderiram ao movimento e a previsão é que outras também o façam.

Avaliar o Dia Mundial sem Carros sob a ótica da estratégia da WCN por si só é algo louvável, uma vez que, a magnitude da iniciativa traz consigo o resgate do pensar acerca de temas relevantes de interesses globais. Utopia? Talvez seja demasiadamente forte caminhar nesta linha de pensamento, entretanto como mudar o cenário de estresse e falta de qualidade de vida que atualmente permeiam os grandes centros urbanos?

Em se tratando de Brasil verdade seja dita não é de hoje que a população convive com a inoperância e mazelas do poder público, principalmente no que se refere a questões recorrentes ligadas a logística de desenvolvimento, aprimoramento e conservação da malha viária de estradas e vias urbanas.

Entra e sai governo e é sempre a mesma coisa. Muito pouco recurso tem sido destinado ao que concerne a implantação de grandes projetos de intervenção e mobilidade viária. Na verdade, justiça seja feita, inexistem grandes idéias, um achado, algo que realmente fosse encantador e olha que há muito tempo tem sido assim.

Nos últimos 10 anos a frota de veículos em Belo Horizonte cresceu 67%, passando de 623 mil para os atuais 1,045 milhão. Atualmente estima-se que existem 1 veículo para cada grupo de 2,4 habitantes o que proporcionalmente equipara-se com a cidade de Brasília. Para se ter uma idéia da amplitude do problema de acordo com o Detran-MG são emplacados em torno de 12 mil veículos por mês, o que dá uma média de 400 unidades por dia.

Diante do cenário acima o que fazer? O que pensar? O certo é que se faz necessário uma nova ordem no tocante a reinventar a mobilidade urbana que envolva todos os setores da sociedade de forma a promover e articular políticas sustentáveis de longo prazo através da implementação e integração das diversas mobilidades de transportes garantindo sempre a acessibilidade universal. Creio ser muito difícil, mas não é impossível.

Por fim para aqueles que possuem carro e o utilizam diariamente como abraçar a causa do Dia Mundial sem Carros diante de toda a contextualização acima? É possível?

Para mais informação sobre o Dia Mundial sem Carros acesse: www.worldcarfree.net/index.php.

Um forte abraço,

Carlos Ramalho
www.rumoabrasilia.blogspot.com

5 comentários:

Emerson disse...

Mude pra São paulo e tente ficar sem carro! É melhor decretar feriado, pois o transporte público é uma m*

Conrado Lima disse...

É o Carlos Ramalho "seriedade e trabalho"????

Sds

Conrado Lima

Lucelia disse...

Misericórdia! rsrsrsrs

de onde vc tirou essas estatísticas moço??

Paulo Reis disse...

po desculpa fze aula de direção hoje, hueahuehau!
zueira, abraco meu querido!
Jesus te abencoa

Teresa Cristina disse...

Santiago, muito obrigada pela lembrança.
Um abraço. Teresa.