quinta-feira, 7 de abril de 2011

Tragédia na Escola em Realengo - RJ

Por Carlos Ramalho

.

Confesso que é difícil ser imparcial em momentos de grande clamor social. A tragédia que se abateu nesta manha na Escola Municipal Tasso da Silveira em Realengo no Rio de Janeiro onde um jovem entrou e atirou a esmo matando e feriando diversas crianças não tem explicação. Por mais que se busque traçar um perfil comportamental ou mesmo antropológico é difícil acreditar no papel a que um ser humano em nome de quem quer que seja tenha a coragem de protagonizar.

.

O Brasil possui problemas que permeiam todas as áreas de conhecimento. Não é de hoje que a violência vem crescendo e assustando a todos. Até um tempo atrás a violência se concentrava nos bolsões de pobreza e por lá ficava. Porém aquela mesma violência hoje bate a porta de cada um de nós. Já não escolhe classe social, cor, raça, sexo, religião. A percepção é de que a violência se institucionalizou no que se refere à presença em todos os cantos do país.

.

Nós, Brasileiros, sempre estivemos acostumados a acompanhar, atônitos, tragédias destas naturezas, melhor dizendo, tragédias não, atos de terrorismo em países do Oriente Médio e da Europa, haja vista a condição fundamentalista que se manifesta através da prática religiosa nestas regiões. Aqui no Brasil, até então, a liberdade religiosa sempre se baseou no respeito, em atos pacíficos, focados em ensinamentos humanistas e fraternais.

.

Dentro do contexto acima, não consigo compreender ações religiosas radicais que promovam derramamento de sangue. A melhor imagem representativa para mim no que se refere ao exemplo a ser seguido é a de Jesus. Em todo o tempo a narrativa bíblica sobre Jesus se passa mediante acontecimentos de curas, milagres, alimentando multidões, ressuscitando mortos, levando uma palavra de esperança e salvação.

.

E é dentro deste principio que finalizado este texto, pedindo a Deus que abençoe cada família que se encontra enlutada neste momento. Que acima de tudo tenhamos sempre a certeza de que o amor sobrepõe, em muito, o ódio, a intolerância e tantos outros sentimentos maleficos.

.

Em luto,

.

Carlos Ramalho

2 comentários:

WAGNER BARROS disse...

O irmão Carlos estamos todos chocados com tamanha brutalidade, já não conseguimos entender a sociedade e seu comportamento, não há como culpar este ou aquele sistema, o que percebemos é que estamos envolvidos com materialismo, problemas físicos, afetivos e financeiros, que muita coisa passa despercebida diante de nós e quando ocorre um fato como este lembramos de Deus, olhamos para o céu, nem que seja para culpa-lo pelo sofrimento das vitimas, atos como este de tanta dor e tristeza tiram olhares da horizontal e os colocam na vertical...um grande abraço parabéns pelo blog e excelente texto.
http://saude-e-eternidade.blogspot.com/

Regina Célia disse...

Amém.Oremos para combater a fúria do inimigo.